BRONQUIECTASIAS

O que são bronquiectasias?

O ar entra e sai dos pulmões através dos brônquios. Normalmente os brônquios se estreitam progressivamente à medida que vão se dividindo, como os galhos de uma árvore, daí o nome de árvore respiratória.

Nas bronquiectasias os brônquios foram lesados de uma maneira irreversível e como resultado se tornam anormalmente dilatados, irregulares e não se afilam normalmente (ectasias = dilatação).


Normalmente as passagens de ar produzem pequenas quantidades de catarro (muco) claro. O muco é transportado em direção à garganta por estruturas semelhantes a cabelos (cílios) que atapetam os brônquios. Este muco é então engolido – geralmente sem se perceber. Este muco aprisiona quaisquer partículas ou neutraliza quaisquer substâncias tóxicas que foram inaladas. Quantidades excessivas de muco, como as produzidas em infecções dos brônquios, são eliminadas pela tosse.

Nas bronquiectasias estes mecanismos de limpeza do pulmão são prejudicados. Os cílios são lesados e não eliminam o muco de maneira eficaz. A tosse é menos eficaz para limpar as vias aéreas dilatadas e lesadas. Daí, a importância da fisioterapia para eliminação destas secreções.

Normalmente as vias aéreas são estéreis – elas não são infectadas. Nas bronquiectasias, devido à dificuldade da limpeza das secreções, estas se tornam infectadas.

Como resultado desta infecção as vias aéreas produzem mais secreções as quais por sua vez se tornam infectadas (círculo vicioso). Portanto, a maioria das pessoas com bronquiectasias tem uma tosse crônica com produção de escarro.

O que causa as bronquiectasias?

Em muitos casos uma causa evidente não pode ser identificada. No Brasil muitos portadores de bronquiectasias relatam infecções respiratórias na infância ou tuberculose pulmonar no passado. Algumas infecções respiratórias na infância podem lesar as vias aéreas e levar a bronquiectasias. Estas podem ser: infecções virais (como alguns tipos de bronquiolite, ou sarampo) ou infecções bacterianas (tais como a coqueluche). Os sintomas podem tornar-se aparentes apenas no início da vida adulta.

Existem condições específicas que podem causar bronquiectasias. Estas incluem a fibrose cística, defeitos no sistema imunológico – tais como deficiência das imunoglobulinas (que protegem contra infecções) e mesmo doenças genéticas dos cílios. O médico solicita exames para avaliar a presença destas doenças.

Ocasionalmente as bronquiectasias ocorrem após a inalação de um corpo estranho – tal como um amendoim ou outros objetos. Se detectados precocemente estes podem ser removidos e a lesão permanente dos brônquios pode ser evitada.

Quais são os sintomas das bronquiectasias?

A maioria das pessoas com bronquiectasias têm tosse crônica. Quando há infecção o escarro torna-se amarelado ou esverdeado, ao invés de branco ou claro. O volume de escarro é variável, mas tende a aumentar quando existe infecção aguda. Às vezes o escarro tem mau cheiro, o que pode ser constrangedor. Ocasionalmente, pequenas quantidades de sangue podem ser expelidas (chamadas de hemoptise). Isto se deve ao rompimento de pequenos vasos das paredes dos brônquios inflamados e geralmente indica uma infecção com necessidade de uso de antibióticos. Raramente uma quantidade maior de sangue pode ser eliminada, o que pode ser assustador. Procure um médico ou um Pronto-Socorro. Felizmente, na maioria das vezes o sangramento cessa espontaneamente.

Muitas pessoas com bronquiectasias sentem-se cansados ou com fadiga. Isto geralmente melhora à medida que a infecção crônica das vias aéreas é controlada.

Às vezes o apetite é reduzido e pode mesmo levar à perda de peso.

A infecção crônica nas bronquiectasias pode causar dano aos pulmões e prejudicar seu funcionamento. Como resultado, a pessoa pode sentir falta de ar ou ter menor capacidade de exercício. Pessoas com bronquiectasias às vezes têm chiado, semelhante ao que ocorre em pessoas com asma. Freqüentemente existe também infecção crônica no nariz e seios da face (sinusite).

Que exames são pedidos?

A radiografia de tórax pode às vezes confirmar a presença de bronquiectasias, porém pode ser normal ou mostrar alterações inespecíficas.

A tomografia de tórax é o melhor exame para diagnosticar bronquiectasias. A tomografia mostra o tipo e a extensão da doença. O catarro deve ser enviado para pesquisa de bactérias comuns e do bacilo da tuberculose. Testes de função pulmonar são pedidos para medir a capacidade respiratória.

Certos exames de sangue (e em alguns casos teste de suor) podem ser feitos para achar possíveis causas das bronquiectasias.

Radiografias e tomografia dos seios da face são solicitados. Exames para verificar a presença de refluxo ácido para o esôfago e daí para os brônquios podem ser pedidos.

Como as bronquiectasias são tratadas?

O componente mais importante do tratamento é fisioterapia regular para limpar as secreções dos brônquios. Existe um número de diferentes métodos para fazer isto. As técnicas de fisioterapia devem ser feitas regularmente em casa e em maior freqüência quando existe uma infecção aguda.

Todas as pessoas com bronquiectasias devem manter um programa regular de exercícios. Todos os pacientes com bronquiectasias têm maior risco de infecções respiratórias. Estas são indicadas por aumento de volume e mudança de cor do escarro. Tosse com sangue, febre, calafrios, dor torácica, ou mal estar também podem ocorrer. Nestas circunstâncias, antibióticos são geralmente necessários.

Pacientes que tem chiado ou obstrução dos brônquios no teste de função pulmonar podem usar um broncodilatador, por bombinha ou inalação.

Às vezes medicamentos inalados contendo corticóides podem ajudar a reduzir a inflamação dos brônquios.

Uma variedade de outros tratamentos pode ser usada, tais como antibióticos orais ou inalados por prazos longos, e outros tratamentos nebulizados ou inalados.

Atenção deve ser dada ao tratamento de rinites e sinusites e sintomas indicativos de refluxo (azia ou regurgitação).

Quando as bronquiectasias são localizadas, a área afetada pode ser retirada por cirurgia, com grande benefício.

As bronquiectasias podem ser prevenidas?

A prevenção de infecção na infância, através de vacinas (sarampo, coqueluche) resultou na redução do número de casos de bronquiectasias em diversos países. Na suspeita de engasgo com aspiração de algum corpo estranho, um médico deve ser procurado imediatamente.

Como é o futuro de alguém com bronquiectasias?

As bronquiectasias que não podem ser curadas por cirurgia podem ser controladas e seus portadores podem ter vidas longas e produtivas. São fundamentais a disciplina na aplicação da fisioterapia e o pronto tratamento das infecções com antibióticos.

<< voltar